-->


13 setembro 2016

DICAS DO DIVÃ

No Divã da sua Cozinha

Uso DesModerado do Sal



Um dos temas mais abordados quando o assunto é alimentação saudável tem sido o consumo de sódio presente em diversos alimentos. O sódio é o componente básico do sal de cozinha, e também amplamente utilizado pela indústria de alimentos para conservação de produtos. Como o sal é usado para temperar os alimentos, muitas vezes a quantidade que se utiliza passa despercebida, e pode ser um risco à saúde. Você já observou a quantidade de sal coloca na sua comida se tiver disponível sachês na sua mesa?
O sódio é encontrado naturalmente em quase todos os alimentos que ingerimos, mesmo naqueles que não houve adição do sal propriamente e mesmo que este alimento não tenha sabor salgado. Isso mesmo! Refrigerante tem sódio. Iogurte? Tem sódio. Sabe aquele suco de caixinha? Também tem!
O Guia Alimentar da População Brasileira recomenda que o consumo diário de sal deva ser de no máximo 5g/dia, que seria 1 colher chá por pessoa.  Atualmente, estima-se que o consumo de sal pela população brasileira chega a 10 e até a 12g/dia! Ou seja, mais que o dobro do recomendado e que o corpo precisa. De acordo com as DRIs – Ingestão Diária Recomendada, o consumo de sódio diário pode ser de 1500mg/dia, e o UL – Limite Tolerável de ingestão é de 2300mg/dia para a população adulta.
Para se ter uma noção da quantidade de sódio em alguns alimentos, observe a tabela abaixo:



           Chocante né?
Para diminuir o consumo de sal, ao temperar saladas prefira ervas (salsa, coentro, cebolinha, orégano), especiarias e limão. Reduza também o consumo de alimentos processados, como tempero industrializado, refrigerante, biscoitos recheados, salgadinhos “de pacote”, macarrão instantâneo, produtos congelados prontos para aquecer, bebidas energéticas entre outros.
Limitar o uso de sal contribui para o bem estar e saúde do seu corpo, e você só tem a ganhar!


Para descontrair:



Créditos da Imagem: Página Facebook Ôdicasa







Fontes da matéria:
Guia Alimentar da População Brasileira – 2ª Ed., 2014;

Definitions: Dietary Reference Intakes, 2005.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar...